O CUCA Barra é uma das 13 estações da Bienal Internacional de Dança do Ceará que chega a sua 9ª edição em grande estilo – apresentando espetáculos, performances, oficinas, palestras e coproduções de artistas e companhias locais, de outros estados brasileiros e de outros países. A bienal começou na última sexta-feira e segue até o próximo dia 6 de novembro. No CUCA, serão apresentados espetáculos nos dias 22, 23 e 25 de outubro.

A presença de convidados internacionais tem um valor especial, primeiro porque são sete artistas inéditos na Bienal. No grupo estão criadores/intérpretes de grande maturidade artística e cênica, como Catherine Diverrès e Fabrice Ramalingon (França), Regina Advento (Alemanha-Brasil), Riki von Falken e Marco Goecke (Alemanha), Olga de Soto (Espanha), Louise Vanneste (Bélgica), Sofia Dias e Vítor Roriz (Portugal).

Outro aspecto especial é a realização de ações de formação e difusão, retomadas nesta edição. Através do programa “Circuladança”, serão promovidos cursos, residências, coproduções e apresentações cênicas em sete cidades do Interior (Paracuru, Sobral, Itapipoca, Juá, Juazeiro do Norte, Crato e Tabuleiro do Norte).

Com a programação gratuita, a Bienal ainda reúne trabalhos de Pernambuco, Piauí, Goiás, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Porto Alegre. Na 9ª edição, uma atenção particular é conferida à criação coreográfica que se configura a partir do diálogo com as danças urbanas, integrando jovens intérpretes iniciando seu percurso autoral.

Estação Cuca

O primeiro espetáculo da Bienal a ser apresentado no CUCA Barra é “Echo – It’s just a temporary thing”, última parte da trilogia ECHO, uma obra de caráter performático com direção artística da bailarina e coreógrafa alemã Riki von Falken. O espetáculo acontece na terça-feira (22/10), às 19 horas, no Cineteatro.

Riki von Falken foi marcada pela dança Pós-Moderna Americana e atua em Berlim desde 1981. Ministrou aulas de coreografia na academia de arte Aswara, em Kuala Lumpur (Malásia), onde conheceu Naim Syahrazad. Ele estudou dança moderna e domina técnicas e artes marciais tradicionais da Malásia, da Índia e da China.

A obra retrata um diálogo entre dois artistas – Riki von Falken e Naim Syahrazad – com diferentes raízes que têm como propósito aprenderem um com outro. O que os diferencia é o estilo próprio, mas o que une os dois é o conceito semelhante que têm de espaço e dança. O espetáculo tem duração de uma hora, com classificação Livre.

Na quarta (23/10), às 19 horas, é a vez do espetáculo “Parabach”, da Paracuru Cia. de Dança (CE), no Cineteatro. Em seguida, às 20 horas, é a vez as apresentações de Danças Urbanas com Despertar da Alma – H2 Brothers e Cia. Estrelas da Rua (CE), no Anfiteatro.

A Bienal volta ao CUCA no dia 25 (sexta), com apresentação do espetáculo “Menu de Heróis”, do Núcleo do Dirceu (PI), a partir das 19 horas, no Cineteatro. Na sequência, o Centro recebe espetáculos de Danças Urbanas com Calle – LA Dança Urbana; Domínio – Side Project (CE); e Múmias – Mova-se (CE). As apresentações acontecem no Anfiteatro do CUCA, a partir das 19h30.

Serviço
Bienal Internacional de Dança do Ceará
Até 6 de novembro de 2013

Apresentações no CUCA Barra:
Dia 22/10 (terça) – Cineteatro
19 horas – Echo – It’s just a temporary thing – Riki Von Falken (Alemanha)
Dia 23/10 (quarta) – Cineteatro e Anfiteatro
19 horas – Parabach – Paracuru Cia. de Dança (CE)
20 horas – Despertar da Alma – H2 Brothers / Cia Estrelas da Rua (CE)
Dia 25/10 (sexta) – Cineteatro e Anfiteatro
19 horas – Menu de Heróis – Núcleo do Dirceu (PI)
19h30 – Calle – LA Dança Urbana / Domínio – Side Project (CE) / Múmias – Mova-se (CE)